Pronto para revolucionar o mercado financeiro?

Conheça a geração que desafia paradigmas e escolhe novas formas de lidar com o dinheiro

Você guarda dinheiro da mesma maneira que os seus pais guardam? Ou que seus avós guardavam? A resposta provavelmente é não, e isso não tem nada a ver com irresponsabilidade ou desorganização financeira. Você simplesmente faz parte de uma nova geração que se comporta de maneira diferente em diversos aspectos, inclusive o financeiro.

 Se você tem cerca de 20 anos, por exemplo, é considerado um integrante da geração Z ou centennial. Esse grupo de jovens nasceu a partir do fim da década de 90 e vem assumindo o posto de geração “divisora de águas” que até uns anos atrás ficava com os famosos millennials. Só no Brasil, eles representam 32% da população, um número bem expressivo, que coloca essa juventude numa posição de potência econômica, com uma influência cada vez maior nos gastos e na fidelidade às marcas.

32% dos brasileiros fazem parte da geração Z ou centennial, que já é maioria global e assume o posto de potência econômica

E como os centennials se relacionam com o dinheiro? E o que isso tem a ver com o cooperativismo? Bom, primeiramente, eles lidam com as finanças de um jeito bem mais pé no chão que os millennials, a geração anterior. Isso porque viveram e sentiram na pele os efeitos da crise financeira global de 2008, o que dificultou o acesso a empregos bem remunerados e diminuiu a confiança em relação a instituições tradicionais. E é aqui que se abre um espaço para as instituições financeiras cooperativas, que criam um sistema muito mais sustentável para fazer a roda econômica girar.

 

Além disso, centennials são mais conservadores com o dinheiro. Eles sabem que as turbulências podem surgir a qualquer momento, por isso gostam de poupar e estar preparados. Mas isso não significa que o foco seja em acumular dinheiro. De acordo com um estudo sobre hábitos financeiros dessa geração, 60% dizem que o objetivo é ter algumas garantias no futuro, não enriquecer. Por serem mais realistas, sabem que o sucesso não está sempre garantido e que precisam ralar para conseguir alcançar os sonhos.

 

Tecnologia e inovação também são duas palavras-chave para entender a geração Z. Ela foi a primeira que nasceu e cresceu em um mundo em que o digital é dominante e estar conectado é quase tão natural quanto respirar. O reflexo disso no contexto financeiro é que apps e fintechs assumem o papel de bancos e agências. Até mesmo o dinheiro é superestimado: pesquisas mostram que uma parcela mínima das transações feitas pela geração Z, de só 6%, envolve dinheiro. As transações digitais vêm ganhando a preferência da garotada. 

 
Box 2

Para quem checa todas as caixinhas de comportamento centennial, optar pelos caminhos tradicionais para lidar com o dinheiro deve parecer coisa do século passado. Por isso o cooperativismo se mostra uma opção cada vez mais interessante. Se o sistema tradicional não está funcionando, por que seguir com ele? A solução coletiva, sustentável e inovadora de fazer juntos e cuidar das suas finanças pode ser o que você procurava para dar o próximo passo na sua vida financeira.

 

Sobre a Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ

 

A Sicredi Vanguarda é uma das 120 cooperativas que integram o Sistema Sicredi. Nascida em 1983, ela está presente no Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Conheça nossa região de atuação: http://bit.ly/regiaodeatuacao 

 

Compartilhe

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter